Páginas

quinta-feira, 17 de abril de 2014

A magia do futebol


Percebo menos de futebol que boa parte dos portugueses e mais do que uma parte também significativa. Sei o suficiente para opinar de vez em quando e para fechar a boca quando não quero que entre mosca. Mas enfim, sou adepta do futebol. Não torço por nenhum clube e não o faço por não gostar do desporto, mas simplesmente porque não sinto por clube algum a paixão que tantos adeptos dizem sentir e que, no fundo, invejo e admiro. Antes fosse fanática! Principalmente para poder ir à bola. Acho que há uma magia qualquer em ver um jogo num estádio. Seja rodeados pelas nossas cores, seja quando arriscamos ser a ovelha negra num mar de branco. Sofro com a Selecção, alegram-me as vitórias do clube da terra e até me emociono com o verde. Mas sou praticamente neutra. Ainda assim, acho o futebol maravilhoso. É fantástica a velocidade com as coisas se modificam. Um dia bestas, no outro dia bestiais. E de repente, tudo gira outra vez. No entanto, vejo coisas por aí que se me fazem revirar as entranhas. E pessoas que esquecem que, de facto, o futebol é isto: noventa minutos (às vezes, noventa e dois) que mudam o rumo de uma história. E amanhã, já se está a apagar, a reescrever e a virar a página! E não é isto tão bonito? 
Se no desporto-rei, a rainha fosse sempre a mesma abelha, o mel nem sequer ia saber da mesma forma... 

L.