Páginas

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Aqui vai disto...


A primeira entrada num blogue é capaz de ser a mais estranha e difícil de escrever. Porque, ao mesmo tempo, há tanto e tão pouco para contar. Mas, ora bem, o início deste blogue coincide (quase, quase) com uma série de inícios ou reinicios. Inevitavelmente, com o início do ano (2014, não desiludas, por favor) e, no meu caso, com o reinicio das aulas. Lá vim eu de malas (chiques) aviadas para Lisboa e deixei o Porto a chorar de saudades. Não é que Lisboa seja assim tão longe. Cerca de 300 kms, sobretudo nos dias de hoje, nem deviam ser chamados de distância. Às vezes, perde-se mais tempo no meio do trânsito do que a chegar da capital à Invicta. Mas isso agora não interessa nada. Acredito que não há ansiedade, tristeza e vontade que se comparem ao antes do primeiro dia. Seja na escola, na faculdade ou, mais tarde, num trabalho. É como nas coisas mais simples da vida: o primeiro beijo, o primeiro encontro a sério, a primeira saída à noite. Depois destas primeiras vezes, todas as outras são recomeçar. E recomeçar, reiniciar, nunca custa tanto como a primeira vez. Mas, desta feita, custou-me. Não fiz tudo o que queria fazer nas férias de natal que pareceram mais curtas do que realmente foram, tal e qual uma ampulheta que quando a gente dá por ela, já chegou altura de virar. E olhem que já dizia a minha melhor amiga: “agora, parece que vivo sempre com saudades de alguém.” Foi logo com ela que não consegui estar. Com ela e com a minha terceira família. E, talvez por isso, tenhamos escolhido esta altura para começar. Precisávamos de nos reencontrar e de levar em frente um projecto pensado há já muito tempo. Aqui estamos nós, duas malas chiques que terão sempre mais em comum do que o mesmo nome. Uma portuense a viver em Lisboa. Uma barquense a trabalhar em Braga. Entretanto, já passámos as duas pelo Porto, por Lisboa e por Bragança. Demos um salto ao Algarve, Paris e Amsterdão. Estacionámos uns dias em Aveiro, outros em Braga e não é que ela ainda esteve na Guarda. São estas aventuras que vos iremos contar, misturadas com um bocadinho de life-style, moda e, sempre, com uma pitada de riso. É isso que nós somos juntas: gargalhadas. E é de gargalhadas que se vai pintar este espaço. 

Laura

Há dias li uma reportagem sobre a mania que temos de adiar, de deixar para amanhã, para quando der mais jeito ou sobrar tempo. E dei por mim a pensar que também eu sofro desse mal. Não tanto por preguiça, mas porque gosto de fazer as coisas à pressão. Tipo "ou é agora ou é agora porque já não há outro dia possível". Isto era algo que eu queria fazer há algum tempo. Mas o primeiro texto...o raio do primeiro texto. Nunca gostei de apresentações. Vamos lá despachar isto...
Então é o seguinte, acaba de chegar à blogosfera um espaço onde se vai falar de economia, religião, homens jeitosos, ciência e...campeonatos de golfe. Ou nada disso. Fiquem para ver. 
(Aaahh, maldito primeiro texto. Eu juro que isto melhora.) Vale-me a Laura, a única companhia possível nisto. 

Silvana