Páginas

terça-feira, 25 de março de 2014

Equilíbrio

Acordei às 7h da manhã para ir trabalhar, vi um dia de chuva lá fora que junto com o sono não fazia prever o melhor dos cenários para as horas que se seguiam. Depois da habitual hora que passo entre banho, vestir e tomar o pequeno-almoço, saí de casa e literalmente aterrei na rua. Não, não estou a exagerar! Não sei como nem porquê, mas escorreguei e caí pelas escadas ao sair de casa. Quando dei por mim estava no chão a pensar "A sério? O que é que eu estou aqui a fazer?". O dia foi o que já se previa: uma continuação do trambolhão matinal. Voltei para casa a pensar que só queria dormir. Mas depois encontrei a minha família à mesa, falei com as amigas de quem morro de saudades, disse parvoíces, ri-me para o telemóvel. Lembrei-me que tenho a sorte de ter sempre alguém que faz o dia valer a pena. Que o Universo se encarrega sempre de equilibrar as coisas. Estão a passar um mau bocado? O que vem a seguir vai compensar. Sou feliz a acreditar nisto. E a aterragem da manhã já nem tem importância. Estou nas nuvens outra vez.


S.